O rei macaco


Surimono 摺物 eram encomendas particulares feitas por poetas e eruditos aos artistas de ukiyo-e para celebrar ocasiões especiais — o ano-novo, por exemplo. Produzidos em pequena escala para um público seleto, os surimono não estavam condicionados a modas passageiras ou limites orçamentários, permitindo experimentar temas e técnicas menos usuais.

O surimono em questão apresenta o rei macaco Sun Wukong, personagem do clássico chinês Jornada para o Oeste 西遊記, com seu característico cajado mágico às costas. Quando não utilizado, o cajado era encolhido ao tamanho de uma agulha e colocado atrás da orelha. Chique.

Sun Wukong era problema. Tinha a força de dez mil crossfiteiros e a velocidade de uma fofoca quente. Era capaz de assumir a forma de setenta e dois animais e objetos. E cada fio do seu cabelo podia se transformar em clones em miniatura do macaco. Isso fazia de Sun Wukong um guerreiro extraordinário, desses que surgem a cada passagem do cometa.

O rei macaco ainda era sabedor de feitiços para comandar os ventos, conjurar auras protetoras, dividir as águas igual o profeta e congelar homens, deuses e demônios.

Vixe.


Título: Songoku 孫悟空 (c. 1812-1824)

Artista: Yashima Gakutei 八島岳亭 (c. 1786-1868)


postagem em parceria com @pictures_of_the_floating_world

5 visualizações