top of page

Ahh leleque leque leque


Códigos de ética em circulação no século 18 incitavam os shokunin 職人, artífices, a manter uma vida frugal devotada exclusivamente ao ofício, sem qualquer consideração ao viés financeiro — assunto menor relegado aos shonin 商人, mercadores, moscas no cocô do cavalo do bandido na rígida hierarquia da época. Na prática, contudo, a teoria era outra. A distinção nem sempre era nítida: a maioria dos artesãos comercializava suas obras, tornadas produtos, sem o auxílio de profissionais responsáveis por assegurar pagamentos, coordenar a produção, manter padrões de qualidade e garantir a divulgação. Tais intermediários, porém, eram super importantes no ramo livreiro, onde o editor orquestrava as atividades dos artistas, entalhadores e impressores, além de promover catálogos de livros, séries e xilogravuras avulsas.

Um dos gigantes do período foi Nishimuraya Eijudo 西村屋永寿堂, que mantinha sob tutela artistas do calibre de Katsushika Hokusai 葛飾北斎 (1760-1849), Utagawa Toyokuni 歌川豐國 (1769-1825) e Utagawa Kunisada 歌川国貞 (1786-1865). Na imagem, Eijudo se encontra sentado no centro da sua loja especializada em leques retráteis a vistoriar o acervo, cercado por belas mulheres que incorporam os funcionários e clientes. À esquerda, um garoto sacoleja um shide 紙垂, tiras de papel em zigue-zague utilizadas nos rituais xintoístas, para atiçar uma gorda ninhada de cães.

O nome do editor aparece inscrito no imenso leque de madeira vermelho no topo da composição, assim como na lanterna de papel retangular no canto inferior esquerdo, recursos autopromocionais bastante utilizados no ukiyo-e 浮世絵 — o próprio Toyokuni se fez presente no leque admirado pela freguesa à direita, impresso com sua assinatura e o retrato de um ator do cabúqui 歌舞伎 da linhagem secular dos Ichikawa Danjuro 市川團十郎.


Imagem: Mieido ogiya zu 御影堂扇屋図 (c. 1785-93)

Artista: Utagawa Toyokuni 歌川豐國 (1769-1825)

8 visualizações

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page