Pagando os pecados


Endo Morito 遠藤盛遠 não era um samurai qualquer coisa, encarregado de proteger a família imperial em Quioto. Sadio como um cavalo e tarado como um bonobo, o rapaz se apaixona pela bela esposa do colega, Watanabe Wataru.

Foca no trabalho, irmão.

A moça rejeita as insistentes propostas do talarico, mas bambu que enverga também quebra. “Apareça de madrugada e assassine meu marido”, ela propõe, “então serei sua.” Cego por paixões mundanas, Morito entra no aposento em trevas e finca a catana em Wataru, apenas para descobrir se tratar da jovem, que substituiu o esposo para preservar sua honra.

Arrependido das escolhas feitas, Morito se ordena monge e assume o nome Mongaku Shonin 文覚上人. Como penitência, permanece vinte e um dias de rigoroso inverno debaixo da cachoeira Nachi 那智滝 ꟷ localizada em Kumano 熊野市, atuais prefeituras de Mie 三重県 e Wakayama 和歌山市 ꟷ recitando sutras sagrados em louvor ao santo Fudo Myoo 不動明王. Quando à beira da morte por hipotermia, Mongaku é resgatado por Kongara 矜羯羅童子 e Seitaka 制多迦童子, dois dos oito serviçais da divindade, e conclui com êxito as três semanas de austeridades.


Título: Senbu 先負

Série: Rokuyosei Kuniyoshi jiman 六様性国芳自慢 (1860)

Artista: Utagawa Kuniyoshi 歌川国芳 (1798-1861)


postagem em parceria com @pictures_of_the_floating_world

4 visualizações

Posts recentes

Ver tudo