top of page

Vista número 13: fosfosol


A imagem apresenta um meisho 名所, local famoso, o que justifica as tantas representações feitas por Hokusai no decorrer da carreira, inclusive em sua série mais famosa, Fugaku sanjurokkei 富嶽三十六景, As trinta e seis vistas do monte Fuji, publicada de 1830 a 1832. Em todas, a mesma formação rochosa escarpada, o mesmo vilarejo à mercê das ondas e a celebrada Enoshima 江の島, ilhota com quatro quilômetros de circunferência localizada na desembocadura do rio Sakai 境川. Ali foi erigido um santuário consagrado à Benzaiten 弁才天, deusa da música e do entretenimento, protetora das nascentes e cursos d’água, padroeira das gueixas e dos artistas, única figura feminina no seleto panteão dos Shichifukujin 七福神, Sete Deuses da Fortuna. Reza a lenda que Enoshima emergiu das profundezas abissais por ação de Benzaiten, no século 6. Brinca. Para completar o cenário, a praia de sete léguas Shichirigahama 七里ヶ浜, a princesinha do mar.

Por que, então, Hokusai nomeou a xilogravura “Sodegaura”, faixa litorânea situada mais a oeste, para além de Enoshima, entre as cidades de Oratsuka 平塚市 e Odawara 小田原市? Estaria o artista ficando gagá? Talvez pretendesse instigar o público com um trocadilho, hoje incompreensível? Escutaria vozes?

O mais provável, contudo, é que se tratasse de um prosaico erro de diagramação.

Título: Sodegaura 袖ヶ浦

Série: Fugaku hyakkei 富嶽百景 (1834)

Artista: Katsushika Hokusai 葛飾北斎 (1760-1849)


Título: Soshu Shichirigahama 相州七里浜

Série: Fugaku sanjurokkei 富嶽三十六景 (c. 1830-1832)

Artista: Katsushika Hokusai 葛飾北斎 (1760-1849)


Imagem: Soshu Enoshima Benzaiten kaicho-mode Hongu Iwaya no zu 相州江之島弁財天開帳詣本宮岩屋之図 (1851)

Artista: Ando / Utagawa Hiroshige 安藤 / 歌川広重 (1797-1868)

20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page